Home Notícias O Brasil leva para o mundo uma rica produção agrícola
Notícias

O Brasil leva para o mundo uma rica produção agrícola

Uma verdadeira potência, descubra a rica produção agrícola que o Brasil leva para o mundo.

A agricultura no Brasil passou por um período de transformação durante o século XX. Com investimento em ciência, universidades e outros centros de pesquisa como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) foram sendo construídos por todo o Brasil, impulsionando o desenvolvimento da produção agrícola nas diferentes regiões do País.

Dessa forma, a agricultura brasileira se tornou bastante diversificada, com tecnologias adaptadas às condições edafoclimáticas (clima e solo) de cada região. O que tornou cada região especializada em diferentes produtos agrícolas.

Por exemplo, enquanto observamos produções acima de 1 milhão de toneladas, de açaí, óleo de palma e mandioca no Norte, no Nordeste são grandes as produções de coco, manga e mamão. Já no Centro-Oeste o destaque fica para produção de carne bovina, soja e algodão. O Sudeste é a potência na produção de cana-de-açúcar, laranja e café; por fim, a região sul é especializada na produção de arroz, trigo e leite.

quadro mostrando a produção dos principais produtos agrícolas brasileiros por região

Com toda essa diversidade e alta produtividade, os produtores brasileiros são responsáveis por abastecer tanto o mercado interno como externo com alimentos, fibras e energia.

Agricultura do Brasil tem alcance internacional

O protagonismo da agricultura brasileira tem levado cerca de 40 produtos agrícolas para o mercado externo e quase todos os países do mundo são clientes do Brasil. Segundo dados da Organização Mundial do Comércio (OMC), em 2018 o país teve uma participação de 5,2% nas exportações agrícolas mundiais, atrás apenas da União Europeia e dos Estados Unidos.

Até o ano 2000 o maior valor exportado do Brasil era para União Europeia, no entanto, nas duas últimas décadas houve um crescimento nas exportações para os países Asiáticos, principalmente China e Hong Kong. Atualmente, os principais compradores do Brasil são a China, União Europeia e Estados Unidos. Esse crescimento nas exportações brasileiras para Ásia está relacionado com o incremento populacional, econômico e urbanização daquela região, o que demanda altos volumes de alimentos dos quais o Brasil apresenta elevada competitividade.

O Brasil é hoje o maior exportador mundial de carne bovina, frango, soja, café, suco de laranja e açúcar, e o segundo maior exportador de milho. Além desses produtos, o país é o terceiro maior exportador de frutas, setor que segue em crescimento. Em 2021, foram exportados cerca de 1,2 milhões de toneladas de frutas – 18% a mais do que o registrado no ano anterior. A China é a maior compradora de soja, açúcar e melaço, carne bovina, aves e celulose, enquanto a União Europeia é a maior compradora de frutas.

GRAFICO MOSTRANDO OS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO BRASIL E SEU DESTINO NO MUNDO

Boas práticas agrícolas garantem desempenho e confiança nos produtos agrícolas brasileiros

São muitos os fatores que colocaram o agronegócio brasileiro nessa posição que impacta o mundo. Disponibilidade de recursos naturais, estímulo à adoção de tecnologias adaptadas às condições tropicais, políticas públicas, capacidade empresarial dos produtores e organização das cadeias de valor são algumas das estratégias que favoreceram o crescimento observado nas últimas décadas. Essas práticas e incentivos também favorecem a preservação da vegetação nativa – 66% do território nacional é coberto por vegetação nativa, agricultura e pecuária ocupam, juntas, cerca de 30%.

Na última década, adoção de estratégias para produção mais sustentável seguem transformando a cara da agricultura brasileira. Um exemplo é o crescimento no uso de terras de criação de gado, onde agora também se produz outras culturas no que chamamos de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF).

Modos de produção com diversidade: o Brasil tem espaço para todos

Leia também

Essa mudança se deve à disponibilidade de tecnologias e incentivo do governo como a implementação do  Plano ABC (agricultura de baixa emissão de carbono) – responsável pela mitigação de 170 milhões de toneladas de CO2 em uma área de 52 milhões de hectares, num período de 8 anos (2010 – 2018). É o principal responsável pela recuperação de pastagens degradadas e crescimento das áreas de ILPF.

O Plano ABC ensina a juntar ideias e promover melhorias

Saiba mais

Espera-se que o caminho do agronegócio siga sendo pavimentado por pesquisa, desenvolvimento, adoção de tecnologias e políticas públicas socioambientais. Com isso, a projeção do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para a agricultura brasileira é de que ela continue a crescer pelos próximos 10 anos. Com a produção de grãos podendo aumentar em até 27%.

Por exemplo, o Plano ABC+ (com vigência até 2030) é a estratégia do governo para expandir ainda mais as tecnologias promovidas pelo antigo plano com a incorporação de novas práticas como a adoção de insumos biológicos. De forma geral, o plano promove práticas agropecuárias conservacionistas, reunindo técnicas, processos e tecnologias que possibilitam recuperar e preservar os recursos naturais, mediante arranjos produtivos.

Adotar boas práticas agrícolas também favorece a certificação dos produtos, o que agrega valor de mercado. Como é o caso de certificações como o carbono neutro, Global Gap, Rainforest Alliance, Fair Trade e outros.

Principais fontes:

ABRAFRUTAS. Brasil bate recorde e alcança mais de um bilhão de dólares em exportação de frutas. Disponível em: https://abrafrutas.org/2022/01/brasil-bate-recorde-e-alcanca-mais-de-um-bilhao-de-dolares-em-exportacao-de-frutas/. Acesso em: 10/08/2022.

CNA. PIB do Agronegócio avança no trimestre e acumula alta de 9,81% no primeiro semestre de 2021. Disponível em: https://www.cnabrasil.org.br/boletins/pib-do-agronegocio-avanca-no-trimestre-e-acumula-alta-de-9-81-no-primeiro-semestre-de-2021. Acesso em: 10/08/2022.

CropLife Brasil. Atlas do agronegócio brasileiro: Uma jornada sustentável. São Paulo, 2021.

Insper. O Brasil no Agro Global: reflexões sobre a inserção do agronegócio brasileiro nas principais macrorregiões do planeta. São Paulo, 2021.

MAPA. AGROSTAT – Estatisticas de Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro. Disponível em: https://indicadores.agricultura.gov.br/agrostat/index.htm. Acesso em: 10/08/2022.

Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços [MDIC] Comex Stat (2021). Disponível em: http://comexstat.mdic.gov.br/pt/home. Acesso em: 10/08/2022.

SNA. Exportações do agronegócio brasileiro deverão totalizar US$ 120 bilhões em 2021. Disponível em: https://www.sna.agr.br/exportacoes-do-agronegocio-atingem-us-120-bilhoes-em-2021-puxadas-pela-soja/. Acesso em 10/08/2022.

 

Aviso de cookies
Usamos cookies para melhorar a experiência de nossos usuários em nosso site. Ao acessar nosso conteúdo, você aceita o uso de cookies como prevê nossa política de cookies.
Saiba Mais