Home Notícias Cana tolerante à seca: mais produção e rendimento para o nordeste

Notícias

Cana tolerante à seca: mais produção e rendimento para o nordeste

A Usina Coruripe está colhendo a maior safra de sua história, algo em torno de 3.4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. Com sede em Alagoas e 4 usinas no estado de Minas Gerais, os canaviais da Coruripe se estendem por mais de 54 mil hectares, entre áreas próprias, arrendadas e de fornecedores.

Mesmo trabalhando em regiões sujeitas a longos períodos de estiagem, como a zona da mata alagoana e o triângulo mineiro, a empresa consegue excelentes resultados tanto em produtividade no campo quanto no rendimento industrial: média anual de 85 milhões de litros de álcool e 295 mil toneladas de açúcar.

Eficientes mesmo em sistemas irrigados

Entre as técnicas utilizadas para driblar o clima, estão a irrigação dos canaviais e o plantio de variedades de cana tolerantes à seca. “Dos 31mil ha de cana própria 83%, cerca de 26 mil ha, são irrigados e apenas 17% são de terras não irrigadas. A maioria das variedades cultivadas nas áreas da Coruripe em Alagoas é tolerante à seca, independente, de serem plantadas em áreas de sequeiro ou irrigadas.  Porque o ambiente é muito seco e com períodos de estiagem cada vez mais frequentes e longos”, conta Pedro Carnaúba, agrônomo e gerente Agrícola da Matriz da Coruripe.

Carnaúba explica que as variedades tolerantes têm produtividade aceitável, tempo ideal de processamento longo e conferem boa longevidade aos canaviais. “O que valorizamos são variedades tolerantes à seca que também respondam positivamente à irrigação, apresentem alto teor de sacarose no momento da colheita, além de uma eficiente rebrota de socaria. Outra característica que valorizamos é a adaptabilidade à colheita mecânica como porte ereto, alta produtividade, perfilhos numerosos, resistência ao pisoteio e alto teor de sacarose”, ressalta o agrônomo.

Reforço para a sustentabilidade

Algumas variedades tolerantes à seca também se adaptam muito bem aos cultivos irrigados.  Segundo Pedro Carnaúba, a usina testou diversos materiais em sistemas de irrigação por gotejo, que atendem a demanda de água das plantas de forma mais racional.  “A variedade RB 92-579 se destacou. Chega a produzir 20 toneladas de cana a mais por hectare com rendimento excelente na indústria: um acréscimo de 2 toneladas de açúcar”, afirma.

Além disso, esta cana responde bem ao uso de maturadores, produtos que aumentam o teor de açúcar e permitem que a planta alcance o ponto ideal de corte mais rapidamente. Assim, escalonando o plantio, é possível distribuir a produção ao longo de vários meses, facilitando o manejo e a colheita. ‘Por isso, a RB 92-579 hoje ocupa cerca de 40% dos canaviais próprios da empresa e mais de 80% das áreas de fornecedores”, conta Carnaúba. “Em geral, variedades tolerantes à seca são mais eficientes em uso de água e, portanto, produzem mais consumindo menos. E isso traz sustentabilidade ao negócio”, completa.

Sustentabilidade, aliás, é uma preocupação constante da empresa. A Coruripe foi uma das primeiras indústrias brasileiras a vender créditos de carbono no mercado internacional justamente pela adoção de técnicas que aliam produção e sustentabilidade.