Home Notícias Arroz para chinês ver e comer

Notícias

Arroz para chinês ver e comer

O preço do arroz anda subindo sem parar e deixando muita gente preocupada. Afinal, ele é o cereal favorito do brasileiro. 

Mas você já pensou em tudo que é necessário para levar um alimento do campo até a sua mesa? O caminho entre a lavoura e o prato é longo, pode ter muitos percalços e cada etapa do processo de produção impacta no preço final da comida.

O campo é só o começo

Para produzir com eficiência e segurança, o agricultor precisa ter terra, boas sementes, fertilizantes, insumos para controlar pragas e doenças, máquinas, combustível e mão-de-obra. 

E tudo tem custo. Muitos desses itens são importados e cotados em dólar. O que já pode interferir significativamente no valor final da produção. 

Lavoura é uma indústria a céu aberto e sujeita a todas as intempéries climáticas. Se chover demais ou faltar água, por exemplo, a produtividade cai. Ou seja, o agricultor colherá menos grãos. 

O mesmo acontece com excesso de calor, geadas, vendavais ou o aumento da incidência de insetos, fungos e doenças que atacam as plantas.

Se tudo der certo, no caso do arroz, após a colheita, os grãos seguem de caminhão para uma beneficiadora, onde serão limpos, descascados, classificados por tamanho e ensacados. Só depois disso tudo, o produto fica pronto para a venda. 

É comum que as cargas viajem milhares de quilômetros até chegarem ao consumidor final. Por isso, o transporte é outro componente importante na formação do preço de um produto. Dentro do Brasil, normalmente, ele é feito de caminhão ou trem. Para o mercado internacional, o meio mais usado é o navio.

Arroz dourado está perto de chegar ao consumidor após 20 anos

Saiba mais

Venda interna ou exportação? Eis uma grande questão

Não é o agricultor quem define o valor daquilo que produz e sim o mercado comprador. 

Se as safras são boas, com grande quantidade de grãos, os preços tendem a cair. Se houver alguma quebra na produção e a oferta diminuir, os preços sobem.

O que acontece no mundo também interfere no valor dos alimentos. Quando outros países enfrentam problemas com suas lavouras, e precisam abastecer suas populações, buscam o que falta no mercado internacional.

Foi o que aconteceu com o arroz. A China, maior consumidor mundial, sofreu uma grande redução na produção e saiu pelo mundo comprando o cereal. Resultado: o preço internacional disparou. 

Aqui no Brasil, por conta da pandemia do coronavírus, muita gente passou a preparar comida em casa e o consumo de interno também aumentou.

Essa conjunção de fatores elevou o preço do arroz.

Aviso de cookies
Usamos cookies para melhorar a experiência de nossos usuários em nosso site. Ao acessar nosso conteúdo, você aceita o uso de cookies como prevê nossa política de cookies.
Saiba Mais